Imagem relacionada

Dezembro ainda não começou, mas a cabeça já esta no final do ano e, principalmente, nas festas que costumam ser um momento de alegria e comemoração do lado de familiares e amigos. Nesta época do ano os espumantes ganham toda a atenção, já que são muito consumidos durante a ceia de natal e a virada do ano. Mas sempre temos aquela dúvida, qual escolhar? Qual harmoniza melhor? Pois é, pensando nisso decidimos facilitar um pouquinho essa díficil escolha, continue lendo e fique por dentro de dicas e espumantes que não podem faltar neste final do ano.

Para aquelas pessoas que não conhecem muito bem as características desta bebida, o espumante é todo vinho que sofre duas fermentações e, portanto, que tem borbulhas. A segunda fermentação é mais conhecida e a que produz as deliciosas borbulhas dessa bebida, podendo ocorrer na própria garrafa, método champenoise e também conhecido como método tradicional, ou em tanques de aço inox, método charmat, confira o processo inteiro aqui.

Já o conhecido e apreciado Champanhe ou champanha, em francês champagne, é o nome dado ao vinho espumante produzido na região de Champagne, na França. De acordo com a legislação francesa, somente o vinho produzido na região AOC Champagne e que seguir todas as regras de produção pré-estabelecidas, pode ser chamado de Champanhe.

O crémant é um espumante produzido na França utilizando o método tradicional, mas por ser produzido fora da região de Champagne, não pode ser chamado de Champnhe. Quando possível, reserve um tempo para degustar um desses espumantes, pois existem crémants maravilhosos, comparáveis ao champanhe em termos de qualidade, mas que são vendidos a preços bem inferiores. O frisante não pode ser considerado um vinho espumante, pois não passa pelas duas fermentações. Na produção do frisante normalmente ocorre somente uma fermentação, a fermentação alcoólica. O gás carbônico responsável pelas borbulhas, é introduzido durante essa fermentação, de forma artificial.

Resultado de imagem para champagne final do ano

É adicionado um licor ao vinho para recompor o teor de açúcar. Depois dessa adição de açúcar, o vinho fica mais um período armazenado para então estar pronto para ser consumido. O espumante pode ser classificado segundo o teor de açúcar em brut nature, extra-brut, brut, extra-sec, sec / dry, demi-sec e doux. Confira: 

  • Brut Nature: menos de 3g de açúcar por litro; é o mais puro;
  • Extra-Brut: sem adição extra – só açúcar residual, até 6g por litro;
  • Brut: seco, com até 15g de açúcar por litro;
  • Extra-sec: muito seco, de 15g a 20g de açúcar por litro;
  • Sec: seco, de 17g a 35g de açúcar por litro;
  • Demi-sec: entre o seco e o doce, de 35g a 50g de açúcar por litro;
  • Doux: doce, acima de 50g de açúcar por litro.

A outra classificação refere-se ao tipo de uva utilizado. Assim, o champagne pode ser:

  • Rosé: feito com mosto de uvas tintas;
  • Blanc de Blancs: feito a partir de vinho base branco de uva chardonnay;
  • Blanc de Noirs: feito a partir de vinho base branco de uvas tintas, pinot noir e/ou pinot meunier.

Espumantes do Brasil e do mundo

Adolfo Lona Charmat Brut - Brasil: 

Espumante, Prosecco e Champanhe - Adolfo Lona Brut

 

Adolfo Lona Brut Rosé - Brasil: 

Melhores Brasileiros - Espumante Adolfo Lona Brut Rose

 

Espumante Cave Geisse Nature Método Champenoise - Brasil: 

Espumante Brasileiro Cave Geisse Nature

Champagne Ayala Brut Majeur - França:

Champagne Ayala Brut Majeur

Léon Beyer Cremant D’Alsace - França

Cremant Leon Beyer

Na ceia de natal procure harmonizar os sabores e entender qual é mais adequao para servir com cada rpato e na sobremesa. No início da refeição, o espumante, com acidez e leveza na medida certa, é perfeito para abrir o apetite. A escolha do vinho deve acompanhar o estilo do prato. Uma salada com camarões, por exemplo, cai bem com um espumante brut. Combinações com carnes vermelhas e molhos de sabor forte são de difíceis, tente evitar. Frutos do mar como lagosta, salmão e camarão com molhos mais encorpados harmonizam perfeitamente com champagnes Blanc de Noir. Espumantes mais doces ou Demi-sec da Itália são ótimos para saborear com doce com creme de vanilla, ou mesmo rabanadas.

Fonte: winer, clubedosvinhos