O bar e a coquetelaria do Grande Dia

As bebidas do casamento fazem parte do buffet. Da água aos sucos e refrigerantes, dos vinhos à cerveja, passando pelo champanhe do brinde. Tudo calculado para não faltar em nenhum momento da recepção.

As bebidas do casamento

Não dá para pensar em festa sem buffet. Assim como não é possível definir o cardápio para o Grande Dia sem incluir as bebidas do casamento. Mais do que simples complemento da refeição, as bebidas ditam o ritmo e a duração do evento, pois não ficam restritas a um momento, mas estarão presentes em todos os momentos da recepção. Daí também a importância de se calcular bem a quantidade.

No coquetel, almoço ou jantar, na pausa das danças e, claro, na hora do brinde dos noivos. E não estamos falando somente de bebidas alcoólicas. As bebidas do casamento vão desde a água – essencial – aos sucos e refrigerantes, para as crianças e convidados que preferem se abster de álcool. Já no quesito “líquido inflamáveis”, como brincam os fãs dos fermentados e destilados, estão o romântico champanhe, o tradicional vinho (tinto, rosé ou branco), os mais quentes, como whisky (uísque, se preferir), vodka, rum, conhaque, etc. Além de licores e da popular cerveja.

Drinks e coquetéis especiais

Um capítulo à parte no bar do casamento é reservado para os drinks especiais. Batidos, mexidos ou montados, eles atraem a atenção dos convidados e surpreendem com suas cores, formas e sabores. E se os noivos pretendem incluir esses coquetéis no evento, a dica é contratar profissionais da área, como barmans, mixólogos ou bartenders. Esses últimos, além de prepararem as bebidas, são uma atração a mais, com seus malabarismos impressionantes. Um show!

Fonte: Guia de Casamento