Um bom vinho é aquele capaz de acompanhar pratos simples e mais encorpados, deixando tudo em perfeita harmonia. A combinação entre vinho e comida se mostra perfeita desde muitos séculos atrás, porém ao longo dos anos foi sofrendo alterações. Um é o acompanhante perfeito do outro, já sendo tradição nas refeições de muitas casas ao redor do mundo. Com o passar do tempo, o vinho, assim como a gastronomia, foi ganhando novos contornos com a descoberta de novas técnicas de cultivo, novos produtos utilizados na sua elaboração e novas maneiras de combinação de uvas.

Todo amante desta maravilhosa bebida já teve a difícil descição de escolher qual vinho harmonizar com cada prato ou que receita escolher para desfrutar com aquele vinho especial. Nessas horas, devido ao grande número de possibilidades de harmonização com os alimentos, estar por dentro da cultura do vinho se faz bastante necessário.

Antes de começar a falar dos vinhos e dos pratos que combinam com cada um, é importante entender que o universo é tão grande dos vinhos que estabelecer regras é sempre perigoso, segui-las cegamente, então, pode resultar experiências não muito boas. Mas, por estar inserido em um mundo de tradições fortes, o vinho têm algumas especificações básicas para sua harmonização.

Conheça os diferentes tipos de vinho que melhor combinam com cada prato:

Vinho Tinto – vão melhor com carnes, mas como são vários os tipos, os tintos são muito versáteis;

Tinto seco leve – carnes vermelhas fritas ou grelhadas, frango assado ou cozido, pizzas, bacalhau com molho e paella são ótimas pedidas;

Tinto seco encorpado – carnes assadas e queijos brancos, como o brie e o camembert caem bem;

Tinto leve – massas com molhos leves;

Tinto encorpado – queijos duros, como o provolone;

Tinto seco – massas com molho de tomate, ou com molho de ervas ou ainda com molho condimentado, além de queijos amarelos, como o parmesão e gouda, e frios em geral são combinações perfeitas;

Vinho Branco – os vinhos brancos, sejam eles jovens e frutados ou encorpados e fermentados, são melhores quando harmonizados com peixes e frutos do mar; e quase nunca combinam com comidas muito temperadas e carnes vermelhas;

Vinho Rosé – são ótimos com arnes magras grelhadas, frango assado, verduras gratinadas, massas italianas, charcutaria, entradas, tortilhas e omeletes. E não cai bem com peixes e mariscos cozido simples, peixes magros grelhados, carnes gordas e e queijos azuis,

Espumante – são flexíveis e vão bem com diversos pratos, mas a sua excelência se dá quando servidos como aperitivos, harmonizando muito bem com queijos de massa branca, como o Brie e o Camembert, peixes fumados (salmão), carnes gordas assadas (leitão, porco), aves assadas (frango, pato), entradas e aperitivos;

Vinho do Porto – frutas secas, bolos, queijos azuis, sorvetes e sobremesas são boas combinações.

Carnes grelhadas e churrasco são deliciosos com tintos carnudos, robustos, ricos em taninos e com boa carga de fruta, seguidos sempre de uma boa acidez. No Brasil, temos belos camarões e muitos gostam deles fritos no azeite ao lado de generosas fatias de alho. O alho intenso e muito presente contrapõe a presença e o marcante sabor do camarão. Para acompanhar esse delicioso prato, o ideal é colocar ao seu lado um vinho muito firme e cheio de personalidade.

Com pizza, os experimentos são deliciosos. Como harmonização, a pizza portuguesa acompanhada de um raçudo Côtes de Rhone tem um perfeito encontro. Com generosa quantidade de mussarela, cebola e ovo picado, ela faz um conjunto presente na boca, provocando inúmeras sensações, que são complementadas pela acidez e álcool na medida do tinto francês.

Chegamos a um assunto mais do que controverso e pouco discutido. Podemos afirmar que, estatisticamente, queijos harmonizam mais com vinhos brancos do que com tintos. Esse tópico normalmente causa furor na maioria dos apreciadores que insistem em tintos com queijos.

Fontes: petitgastro, revistaadega