Um experimento científico sobre como os aspectos ambientais afetam nossos sentidos numa degustação de vinhos, trouxe uma nova visão sobre como as cores e os sons afetam a forma como percebemos os sabores. Os resultados mostraram que uma mudança na cor e no som durante uma degustação podem alterar, quase imediatamente, o sabor daquele vinho.

Quase 3.000 pessoas participaram do experimento, o maior teste desse tipo até hoje, durante o festival Streets of Spain, organizado em junho de 2014 pela vinícola Campo Viejo, em Londres.

O experimento foi conduzido pelo neurocientista cognitivo Charles Spence, professor de Psicologia Experimental da Universidade de Oxford. Os participantes tiveram de caminhar através de uma instalação batizada de Campo Viejo Colour Lab para experimentar a influência da cor e do som no gosto. Ao entrar no laboratório, cada pessoa recebeu uma única taça para provar, servida num cálice totalmente negro, percebendo como o sabor do vinho se alterava completamente na medida em que eles eram expostos a uma variedade de sons e cores cientificamente escolhidas.

Os resultados publicados mostram que uma mudança na cor e no som podem afetar o sabor do vinho em cerca de 10%. As principais conclusões tiradas do experimento foram:
• a luz vermelha e a música suave são uma combinação ideal, aumentando a satisfação em até 9%;
• a luz verde e a música melancólica aumentam o frescor, mas reduzem a intensidade em até 14%;
• a luz vermelha sozinha é capaz de realçar as notas frutadas dos vinhos;
• a luz verde sozinha é capaz de realçar o frescor dos vinhos.

Segundo o professor Charles Spence: “Ficamos surpresos ao ver como a cor e o som tem um efeito tão profundo sobre o sabor do vinho. Sabíamos que algum efeito era provável, mas os resultados foram muito além do que estávamos esperando. A realização em larga escala desse experimento multisensorial foi capaz de nos mostrar de forma inequívoca, pela primeira vez, que a cor e som juntos têm um efeito muito maior sobre a percepção do gosto das pessoas do que a luz por si só”.

Quem desejar experimentar por si mesmo, pode ouvir as faixas utilizadas no experimento Colour Lab através deste link
Fonte: Gazeta Online